Sorry Brasil, mas escolhi ficar

Quando o tom parece um desabafo da alma demoramos aceitar o que coração diz, demoramos para acreditar e entender que no fundo, não somos simplesmente pessoas egoístas que desfruta de uma vida na Europa.

1 ano e meio atrás eu saia do Brasil com lágrimas que pareciam eternas, vi uma família inteira no aeroporto se agarrando a mim como nunca, vi nos olhos do meu pai a mesma tristeza que se vê nos olhos de alguém que sofre calado, doeu e ainda dói, duvido muito que isso irá mudar um dia, mas não é sobre dores que quero falar.

Quando saímos do lado do nossa família, amigos, rotina, trabalho a vida simplesmente renasce e não acredito que o motivo seja porque estávamos presos, mas sim porque não nos conhecemos de verdade.

Olhei para mim mesma e vi quantos medos acumulados tinha, olhei para mim mesma com olhos maternos e me dei a chance de me perdoar por “deixar tudo para trás” e me aventurar no desconhecido.

13051600_806862399445530_632637410457966833_n.jpg

O medo do julgamento demorou para sair do meu coração, a aceitação própria veio com o tempo, o coração foi se enchendo de garra e perdendo aquele background depressivo. Ouvi meus sonhos, desejos, intuição, ouvi Deus, ouvi aqueles que me amam, apoiam, ouvi que a crise existe e que você também quer vir pra cá.

O excesso de cobrança me fez acreditar que eu não conseguiria, afinal lavar banheiros e ser babá não parecia ser o melhor cenário, e não é, mas é sendo babá, cleaner e fazendo estágio na minha área que eu moro bem com meu marido, que cozinhamos juntos, fazemos compras, dançamos na sala e bebemos vinho ao som das nossas musicas preferidas e é com todos essas “obrigações” que aprendi a ser forte, deixar de frescura e ainda trabalhar só de segunda sexta até ás 6pm.

Escolher ficar é muito diferente de não ter outra opção. Eu poderia voltar, seria feliz, mas no momento quero continuar me deliciando com as descobertas que tenho feito sobre meu eu e sentindo o ar fresco da Irlanda que para mim é como se Deus estivesse
ali dizendo: “Aguenta, Eu estou aqui”.

Se está vindo ou já chegou, simplesmente respire fundo e acredite que tudo vai ficar bem, nenhuma experiência é desperdiçada. O fato é que morar fora do seu país é para os fortes. Apenas não desista facilmente. 

Advertisements

TREAT YOURSELF / CUIDE-SE

cropped-acc7847367c3408c7a4a8e15a79d8c2c.jpgEsse não é o meu primeiro blog e duvido que seja o último, não escrevo como quem deseja alcançar uma fama meteórica baseada em meus comportamento ou aventuras, não mesmo. Escrever [no meu caso] é a maneira mais doce que encontrei para cuidar de mim e revigorar minha esperanças nos meus sonhos. 

Encontrar o controle emocional diante de tantas novidades e bombardeio frenético da sociedade não é tarefa fácil, mas buscar informações, orientações e refugio para sua alma podem te ajudar. O fato é quer ver alguma beleza em todas as coisas, muda e muito sua maneira de ver o Mundo. 

Okay, mas quando eu descobri que era realmente necessário buscar uma conexão maior comigo? 

Quando fechei a mala e entrei em um avião rumo a Irlanda há 1 ano e meio atrás. A primeira viagem de avião, primeira vez morando sem os pais, primeira vez morando com o namorado [agora marido] e descobrindo novas línguas, culturas, religiões, empregos, carates, descobrindo um novo eu. Era apenas uma maneira de sair do: “I’m Deborah. How are you?” e acabou virando vida-casa-família. 

Tudo está apenas começando, mas quero poder compartilhar sonhos, verdades e a realidade atrás do sonho de viver no estrangeiro. É magico, of course, mas definitivamente não é para qualquer um.

Processed with VSCO with t2 preset

Take your time, não tenha pressa e venha respirar levemente comigo nessa fase maluca, mas intensa.

Acompanhe as viagens, a nossa startup que está nascendo, a vida de casada, o inglês de índio, as burocracias e feel free para entrar em contato, quero poder ajudar o máximo de pessoas possíveis a encontrar a paz saindo da zona de conforto.

I hope you can enjoy everything with love and peace, just breathe and go ahead.

First

Muito prazer, Débora.

E é assim que inicio minha saga de “aspirante à blogueira”. Estar morando fora do Brasil já é um bom motivo para escrever todos os dias sobre as experiências que essa vida pode proporcionar, mas a ideia aqui é também divulgar minhas paixões, trabalho e porque não desenrolar assuntos que poderão render boas conversas.

Sou uma mulher com fases de menina que escolheu a Comunicação como principal paixão e por meio dela, descobriu o valor das pessoas, das redes sociais, do design e de quebra ganhei de brinde um mente mais aberta e inquieta. De tanto pensar fora da caixa, hoje estou na Irlanda e para quem agora pensou “nossa, que bom viver fora do Brasil”, okay, concordo em partes, mas sobre isso falaremos mais tarde 😉

Agora para você, meu caro jovenzinho que sonha com a vida de gringo, deixo meu e-mail pessoal para conversamos (deborasouza.mkt@gmail.com), quero te ajudar a desmistificar a idea de vida no exterior e mostrar caminhos possíveis para as coisas realmente acontecerem, ask me just about Ireland, of course!

Enjoy your life!